FRAGILE | ensaios do espectáculo e produção do documentário em curso
















No âmbito do projecto co-financiado pelo Programa Cultura da União Europeia FRAGILE, três coreógrafos da Estónia, Noruega e Portugal têm colaborado por dois anos na pesquisa de uma nova linguagem pelo trabalho com bailarinos e intérpretes com e sem deficiência visual, culminando o processo numa performance inclusiva em 3 partes, com estreia mundial no final de Março em Lisboa.

EDGE, cujos ensaios iniciaram em Janeiro de 2013, é o nome desta criação em Portugal, um espectáculo com coreografia de Ana Rita Barata e co-direcção artística de Pedro Sena Nunes, integrando os bailarinos e intérpretes Bernardo Gama, Joana Gomes, Luís Oliveira e Sofia Soromenho.

A coreógrafa cita “O Olho e o Espírito”, de Merleau-Ponty, na tradução do que entende ser um trabalho exploratório sobre os contornos da visão (ou falta dela): “Os nossos olhos de carne são já muito mais do que receptores para as luzes, cores e linhas: dotada do visível, compiladora do mundo, será a visão um espelho ou antes a concentração do universo?”.

EDGE explora o conceito de limite, fronteira, expoente máximo, limiar, através da conjugação das linguagens da dança/movimento, som e vídeo, para propor uma experiência profundamente sensitiva para intérpretes e público em igual medida.

Todas as sextas-feiras às 15h promovem-se Friday Showings, a participação do público é livre, num processo partilhado de exibição e debate de resultados.

Inscrições e informações, contactar Clara Antunes (produção) para: info@voarte.com ou através do telefone 213932410.

Neste âmbito o realizador Pedro Sena Nunes encontra-se desde o início dos ensaios em filmagens do documentário EDGE.

Semelhantes processos de criação estão em curso na Estónia e na Noruega, onde, respectivamente, Ajjar Ausma prepara PLEXUS e Kjersti K. Engebrigtsen (directora artística do projecto FRAGILE) desenvolve TOUCHED.

Sem comentários: