Instalação - Margens do coração e alguma razão


#sinopse#
margens com coração e alguma razão instalação pedro sena nunes A voz de uma imagem separa-nos do passado, um tempo e um lugar que escurecem dia-a-dia à velocidade dos anos. Imagem do nada e da transparência. A transformação invisível dos sentidos. É meu desejo aprofundar esta relação de auto reconhecimento, aprofundar a dúvida e o desequilíbrio que a criação provoca na vida. Um corpo representa sempre um corpo, procuro na representação do corpo apenas o seu envelhecimento. O corpo para ser lido e dito não se compadece com o outro lado da “sala”. Os nomes colam-se aos corpos desde que nascemos, pertencemos a ficheiros com gavetas. Sobrevivemos aos solavancos das palavras que nos dizem. Uma projecção feita de duas imagens projectadas numa parede branca. Duas imagens, duas gerações. Dois rostos, dois movimentos, duas respirações que se tocam ao longe. Uma respiração velha e outra recém-nascida. Dois olhares. Quatro olhos, formato panorâmico. Uma avó, uma bisneta. O que verá cada uma das mulheres?
#ficha técnica#
realização – pedro sena nunes
intervenientes - marta mar, rita sena
música - vasco martins, gyia kancheli