LADRÕES DE DEUS //
2º ENCONTRO DE POETAS DO MUNDO 

AlmadaJardim do Convento dos Capuchos
26 Março / Sábado / 21h

De 21 a 27 de Março, Almada transforma-se num Concelho de poesia, com a realização do segundo Encontro de Poetas do Mundo - POEMA. 

Inserido no âmbito do projecto 'Língua, Cultura e Cidadania' - Almada Referencial do Ensino do Português (ALReP), este encontro terá como lugar central o Convento dos Capuchos, na Caparica, que acolherá debates, exposições e momentos musicais. 



O livro «a colher de Samuel Beckett» de Gonçalo M. Tavares, relaciona o papel do actor com o público e serve de ponto de partida para a criação de um filme composto por pintura, música e texto, que procura trabalhar a divinização do esvaziamento do divino, ou seja, a crítica que é o processo contemporâneo de prestação de serviços divinos pelos falsos profetas, como contraponto a uma sociedade faminta de referências, valores, dentes afiados, padrinhos, submissão.

Realização
Pedro Sena Nunes
Texto
Gonçalo M. Tavares
Pintura
João Ribeiro
Música
João Gil


INSHADOW 2011 
CONVOCATÓRIA  / CALL FOR ENTRIES
Está aberta a convocatória para a 3ª edição do InShadow nos géneros vídeo-dança, vídeo-performance, vídeo-experimental, vídeo-arte e documentário de criação e performances que reflictam a relação do corpo com as tecnologias.

Download Ficha de Inscrição de Vídeos
Download Ficha de Inscrição de Performances

//////////////////////////////////////////////////////////

Call for entries is open to accepting videos on the genres video-dance, video-performance, video-art, experimental video and/or creative documentary, as well as performances which reflect the body’s relation with sound and image tecnologies.

Dowload Regulations

//////////////////////////////////////////////////////////

O formulário deve ser enviado por email para
The application form must be sent by email to
voarte@voarte
O DVD da obra deve ser enviado por correio para
The DVD must be sent to
InShadow – 3º Festival Internacional de Vídeo, Performance e Tecnologias
Associação Vo’Arte / Rua de São Domingos à Lapa, 8N / 1200-835 Lisboa, Portugal

  


WORKSHOP 
'VER DOCUMENTÁRIO COM UM NOVO OLHAR'
Escrever Escrever - Lisboa, Chiado
Dia 19 de Março / Sábado / 11h às 18h / 65€ 

O documentário apresenta a sua maior vitalidade de sempre. O documentário hoje destaca-se como uma marca da contemporaneidade. O desenvolvimento crescente, prático e teórico, da criação audiovisual – Cinema, Televisão e Vídeo, e o progresso tecnológico, exigem, cada vez mais, a nossa relação com as imagens. Tal como o realizador procura a forma para o seu documentário, também o espectador a procura no filme. Na verdade, ele tem expectativas criadas e é a partir delas que lê um filme.

Através do visionamento, discussão e análise de excertos de filmes, este Workshop permite, de forma resumida e intensa, aprofundar e conscencializar os participantes para a importância que os dispositivos transformadores da percepção têm sobre o real, bem com o desenvolvimento de estratégias de manipulação e criação imagética a partir da realidade que nos rodeia. 
O objectivo deste Workshop e dotar os participantes de ideias e intenções que possam contribuir para uma melhor interpretação do documentário contemporâneo.



HOPE GANHA PRÉMIO  FANTASPORTO'2011

Hope é o grande vencedor da primeira edição do Prémio do Cinema Português Fantasporto. De um total de 300 filmes exibidos na 31ª edição do Festival Internacional de Cinema do Porto cerca de um terço eram de produção portuguesa. O Júri foi constituído pelo realizador Jorge Campos, pelo jornalista Pimenta de França e por Artur Barros.
O Júri refere-se a Hope como sendo uma “obra em que se premeia a ousadia de uma narrativa arrojada e inovadora que projecta uma poderosa mensagem de esperança num mundo onde reina a incerteza e a perplexidade e onde parece estar posto em causa o equilíbrio entre o homem e a natureza”.

Números Fantasporto
O Fantasporto exibiu 307 filmes, 74 longas-metragens e 233 curtas-metragens. Das longas, 30, e das curtas, 89, estavam em competição.
Ao todo, 242 dos filmes eram totalmente inéditos no nosso país e 272 (89%) são de produção europeia. O público do festival viu 90 filmes portugueses, e no total, foram 25 os países participantes no Fantasporto.


Hope retrata o encontro animal entre homem e mulher. A mulher entrega-se a uma existência subtil, graciosa. “A fusão com aquilo que a natureza em si desperta fá-la desdobrar-se em novos mundos, mundos de fome, sobrevivência, lassidão; sublime realidade

Trailer AQUI

WORKSHOP //
PORQUE PULSAM OS DOCUMENTÁRIOS?

ATV Associação Torres Vedras
12 Março das 10h00 às 19h30
Duração: 8h
Preço: 25€ / Sócios ATV: 20€

Pedro Sena Nunes dirige o workshop Porque Pulsam os documentários? integrado no Making Of - Ciclo de Formação na Área de Cinema, que na sua edição de 2011 se dedica exclusivamente ao documentário. O programa privilegia o contacto com realizadores e os seus processos de criação, lançando assim novos olhares sobre o panorama do cinema português.

INSCREVA-SE JÁ!

Reflexão do realizador
Se colocarmos a questão sobre o que é o Documentário, provavelmente, a primeira ideia que surge, e que diferencia o Documentário de outro género cinematográfico, é o facto destas imagens serem vizinhas de um real e de um espontâneo. O documentário é sem paralelo a interpretação criativa de uma realidade e investe no registo de aspectos relevantes da existência dos seres vivos, geralmente não-actores, cuja observação seja proeminente.
O documentário é um registo de argumentos e propósitos que apelam à lógica e às emoções. A ideia é documentar a vida e montá-la consoante os eventos mais relevantes. É mais uma questão de imaginação que de óptica. Como diz Jaques Lacan: “A verdade tem uma estrutura ficcional”. E a verdade é o pulsar da vida.
A necessidade do Documentário é a vontade de voltar a um contacto com a realidade ou à percepção de que há um pulsar à nossa volta que pode ser partilhado.
Documentário é também a interpretação criativa da realidade, pertence ao documentário a criação, a criação de uma «ficção presa ao real».
Pedro Sena Nunes


HOPE NO FANTASPORTO // PANORAMA DO CINEMA PORTUGUÊS
4 Março / 6ª-feira / 15h15 / Rivoli Teatro Municipal - Pequeno Auditório

O filme Hope, de Pedro Sena Nunes, será apresentado no Fantasporto - 31º Festival Internacional de Cinema do Porto, a decorrer entre os dias 25 de Fevereiro e 5 de Março. O filme sérá enquadrado numa Sessão de Curtas-Metragens Portuguesas, no dia 4 de Março.
Hope foi vencedor do Prémio Nacional Multimédia da APMP e do 1º Prémio Ensaio Multimédia no Festival Curtas Sadinas em 2010, tendo neste ano circulado por 10 Festivais Nacionais e Internacionais. Participem neste grande momento de Hope!
Hope trata de temas como vida, revolta e purificação, propondo uma nova ordem e um Mundo regido por leis outras.

O encontro animal entre homem e mulher concebe a prisão aquática do desejo. A mulher entrega-se a uma existência subtil, graciosa. A fusão com aquilo que a natureza em si desperta fá-la desdobrar-se em novos mundos, mundos de fome, sobrevivência, lassidão; sublime realidade. Gera-se uma nova vida; move-se, respira, subsiste num lugar de ecos embrionários. O acordar do toque na matéria densa fa-la-á por fim confrontar-se com a sua própria efemeridade e poder destrutivo da criação. O Homem a aparecer e a desaparecer.